Sexta-feira, 11 Março, 2011

PEDRO MAGINA Nineteen Hundred And Eighty Five CASSETE

€ 7,50 CASSETE (Edição Limitada) Not Not Fun

[audio:http://www.flur.pt/mp3/NNF219-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/NNF219-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/NNF219-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/NNF219-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/NNF219-5.mp3]

Momento cósmico. Pedro Magina tem nova edição, desta vez em formato cassete numa das editoras mais hot da última década, a Not Not Fun. Para a semana sai cá para fora o segundo álbum dos Aquaparque (onde toca com André Abel), “Pintura Moderna”, um marco da música portuguesa e o disco mais entusiasmante que ouvimos, até agora, neste ano. Podem escutar o single, “Para Além Do Bronze”, aqui. Magina a solo fala-nos de outras aventuras. Viagens coladas ao imaginário dos sintetizadores dos anos 80, à Sky, a Vangelis, ao bom Jean Michel Jarre, e à memória (o título é uma referência a isso). Não é a memória, ou as lembranças, que movem hypnagogic pops e chillwaves; ou seja não é uma reciclagem dessa memória, o aproveitamento da sintonia de uma geração (e que por arrasto convence outra que não viveu essas “memórias”). É antes uma coisa que permanece, que se vive e não se recorda, como se fizesse – e faz – tudo parte do mesmo. Por isso na música de Magina, tanto em “Nazca Lines”, o EP anterior, e neste “Nineteen Hundred And Eighty Five”, não se vivem tanto as recordações, mas um estado de espírito actual, total, e é por isso que aqui se encontram fogos dos Aquaparque e dos June (outro projecto de Magina com Guilherme Gonçalves) sem a sua música perder um carácter identitário, porque ela forma uma própria identidade. Munido com o seu Casio, Magina atravessa esse campo da memória, que situamos desde finais dos 70s até aos dias de hoje (pelo reinteresse no género – Oneohtrix Point Never, Emeralds, Umberto) e tanto vai a nomes já referidos como entra sem descaramento no imaginário dos Spacemen 3/Spiritualized dos primeiros anos, como é demonstrado em “Sunday Morning”. “Miyagi”, “Sparkling Bee” e “Minor Romance” são comprimidos de satisfação, uma espécie de bom resumo de uma viagem maior. Uma grande razão para recuperar o leitor de cassetes. Absolutamente essencial. Duvidam? Espreitem-no amanhã na Zé dos Bois.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »