Sexta-feira, 2 Dezembro, 2011

TIM HECKER Dropped Pianos CD

€ 16,50 € 12,50 CD Kranky

[audio:http://www.flur.pt/mp3/KRANK161-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/KRANK161-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/KRANK161-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/KRANK161-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/KRANK161-5.mp3]

“Ravedeath, 1972″ foi um disco belíssimo, intenso, caleidoscópico, como poucas vezes nos aparecem à frente. Contudo, não dá para ser demasiado conservador nos elogios a Tim Hecker, pois a sua obra é regularmente visitada pela excelência, sendo universalmente considerado um dos melhores músicos electrónicos dos últimos anos. E se precisássemos de mais provas da sua competência, basta pegar neste recente “Dropped Pianos” para entendermos até onde se estendem os limites de Tim Hecker. A capa diz quase tudo – é uma versão tintada a negro de “Ravedeath, 1972″ -, mas o que está lá dentro é muito melhor – e surpreendente – do que uma versão ou fac simile. De todo o ardor ambiental do álbum editado no início do ano, o canadiano extrai uma sombra semi-acústica dos temas, feita de melodias evaporadas de piano, assombrando a obra original de tal modo que nos gela qualquer pingo de sangue nas veias. Na verdade, ouvimos aqui música preparatória para “Ravedeath”, erguida como uma espécie de busca do sagrado, de uma nova liturgia ambiental, quase reducionista. De repente, pequenos golpes de memória recuperam “Radio Amor”, ainda um álbum de referência da sua carreira (2003), mas “Dropped Pianos” é uma obra total, de aterradora beleza e subtil introspecção, que não precisa de qualquer subtexto para pôr o nome de Tim Hecker, por duas vezes, na lista da melhor música de 2011. Imperdível.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , / / Comentar: aqui »