Sexta-feira, 2 Novembro, 2012

V/A 122 Bpm The Birth Of House Music 2LP

€ 16,95 € 14,95 2LP Still Music

[audio:http://www.flur.pt/mp3/STILLM3CD006-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/STILLM3CD006-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/STILLM3CD006-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/STILLM3CD006-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/STILLM3CD006-5.mp3]

A História continua a escrever-se, ou antes, já foi escrita e boa parte dos acontecimentos não estão nos livros. Ainda Chicago como fonte do que hoje é a corrente mais respeitada na house, onde toda a gente interessada no sumo primordial regressa, mais tarde ou mais cedo para rejuvenescimento. A energia nesta música é ainda impressionante e, para lá das mais habituais editoras Trax ou D.J. International, havia muita coisa a acontecer na cidade. “122 BPM” não é arqueologia no sentido extremo em que algumas notícias na net fazem crer, “musito antes de a Trax ou a D.J. International terem sequer sido sonhadas”. Não é nada assim, na verdade. Muitas das faixas neste disco são contemporâneas dessas duas editoras ou até posteriores aos seus primeiros discos. O que acontece aqui é uma ideia de como as coisas começaram em Chicago, alguns antecedentes e sobretudo, ênfase nas editoras Mitchball e Chicago Connection e na parceria de Nemiah Mitchell, Jr. com o seu filho Vince Lawrence. Este último esteve na génese do que mais tarde se chamaria House, ele fazia parte de Z-Factor, com Jesse Saunders, e a sua interpretação do som electrónico europeu resultou na produção que hoje associamos ao som clássico de Chicago. Não esquecer, no entanto, que tudo isto era vanguardista na época, mesmo as faixas mais soul, encarregues de passar o testemunho r&b para a nova geração. Não vale a pena destacar muita coisa, em “122 BPM”, mas “Shake Your Body”, de Jeanette Thomas, apesar de largamente citado ao longo dos anos, é sempre incrível e, representando um possível manifesto, “The Jacking Zone”, de Risque Rythum Team, diz as palavras mágicas. O primeiro dos 3CD é misturado por Jerome Derradji, bossman da Still Music e a sentir no corpo toda a herança. A versão em vinil resume tudo em oito faixas, terminando com McGhee, “I Got Broke Breakdancing”. Ambos os significados da palavra são válidos: teso, porque se gastou dinheiro em discos, e partido com os ângulos desta música.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »