Sexta-feira, 9 Novembro, 2012

LAND Night Within CD

€ 15,50 € 11,95 CD Important  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/IMPREC360-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/IMPREC360-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/IMPREC360-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/IMPREC360-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/IMPREC360-5.mp3]

Daniel Lea e Matthew Waters são os músicos que coordenam LAND, um projecto de muitos tentáculos e resultados, como há muito não se vê por estas bandas – a indústria deixou de ter dinheiro para suportar estas coisas e o que sobra é a vontade e o colaboracionismo. Sim, LAND é muito conceptual, muito difícil de descrever, mas o que nos deixa tranquilos é que o disco é incrível e que todos os detalhes parecem ter sido pensados à escala infinitesimal. Explicado como uma aproximação à narrativa apocalíptica noir, passe a redundância, os autores citam “Taxi Driver” ou as histórias de detectives de Paul Auster para nos enquadrar nas intenções. De facto, há algo de muito urbano nesta música, encaixada entre uma espécie de proto-jazz ácido de câmara, que tanto nos convoca recordações de Paul Schutze, Jon Hassell, Burnt Friedman como de uma Cinematic Orchestra selvagem. Nos momentos em que o sentido terminal do mundo vem à tona, a descarga tenebrosa acontece, sem nunca perder o fio narrativo e a indução visual. Talvez nada disto fosse possível se não tivesse os convidados que tem: David Sylvian (quem convence Sylvian tem argumentos para fazer as coisas bem feitas), Ben Frost (que assume a “escultura” do disco em estúdio) ou Daniel O’Sullivan (dos imponentes Ulver). Mas tudo ganha amplitude no leque músicos e instrumentos clássicos que participa nesta estreia, dando um recorte de classe orquestral que nos faz construir imagens onde elas são precisas. No final do disco, apetece continuar a ouvir mais, mas só nos resta rebobinar “Night Within” e começar de novo. Tudo neste álbum é uma boa surpresa.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »