Quinta-feira, 28 Fevereiro, 2013

JUAN ATKINS 20 Years 1985-2005 2CD

€ 19,95 € 12,50 2CD Tresor

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TRESOR216-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TRESOR216-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TRESOR216-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TRESOR216-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TRESOR216-5.mp3]

No Verão de 2005 recebemos esta edição pela primeira vez, dois CDs fundamentais para qualquer curso que se preze sobre Techno, as suas origens, derivações e evolução. Na altura escrevemos o texto abaixo, e mantemos o que dissemos:

Detroit é há muito palco de momentos fundamentais na história da música popular, mas talvez o mais significativo e reconhecível esteja relacionado com a produção techno que há 20 anos se instalou na cidade. A santa trilogia de que todos falam – Kevin Saunderson, Derrick May e Juan Atkins – seguiu entretanto rumos separados mas a base que construíram tornou-se num legado impressionante para ouvintes, DJs e produtores em todo o mundo. Techno de Detroit tornou-se, enfim, em género por direito próprio. Juan Atkins pre-datou toda a cena com os Cybotron, que acabaram depois de alguns singles quando Atkins e o vocalista Richard Davies começaram a divergir quanto à orientação musical. O primeiro preferia uma via mais electrónica enquanto o segundo favorecia guitarras e uma estrutura próxima do rock. O consumo de techno-pop europeu em Detroit no início da década de 80 e a forte herança funk da cidade (George Clinton como principal figura) possibilitou uma fusão ainda não testada e o híbrido que era Cybotron resultou, quando Atkins começou a produzir a solo, num som mais depurado e metronómico. KMS (Kevin Saunderson), Transmat (Derrick May) e Metroplex (Juan Atkins) foram as três editoras fundamentais para que tudo acontecesse. Inicialmente fundadas para editar música dos respectivos donos (a solo e em várias combinações entre si), rapidamente se tornaram essenciais para alimentar uma nova cultura e uma nova geração de produtores. A compilação que a Tresor agora apresenta percorre os vários alter-egos de Atkins, que espelhavam as diferenças estilísticas que o produtor optava por explorar. Cybotron é o mais puro e mecânico, com evocação directa de um futuro pessimista (Detroit cinzenta), o som abeira-se do industrial e a voz é monocórdica e sem esperança. Model 500, numa fase inicial, é o arquétipo do som de Detroit, limpo, com espaço, antes de uma certa aproximação à house, cujos pontos de referência não eram já tão distintos. Em 23 temas, «20 Years Metroplex: 1985-2005» é um compêndio fundamental para unir as pontas entre a produção actual e a génese do techno, seguindo a carreira de um dos seus mais influentes produtores para trás no tempo até à época em que o electro dominava o mundo pela primeira vez.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »