Segunda-feira, 8 Maio, 2017

LEYLAND KIRBY When We Parted My Heart Wanted To Die 2LP

€ 26,50 LP (2017 reissue) History Always Favours The Winners

[audio:http://www.flur.pt/mp3/HAFTW001-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/HAFTW001-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/HAFTW001-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/HAFTW001-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/HAFTW001-5.mp3]

Em 2009 quando saiu esta primeira parte da trilogia “Sadly, The Future Is No Longer What It Was”, a carreira de Leyland Kirby era muito diferente da que tem hoje. Parte da sua música, saída do seu corpo e mente e não do seu nome, habitava numa ressaca daquilo que fazia desde o início da sua carreira. Esta primeira parte, “When We Parted My Heart Wanted To Die”, agora reeditada é o pontapé de partida do Leyland Kirby / The Caretaker que se ouve hoje. Contudo, há algo de muito distinto em “Sadly, The Future Is No Longer What It Was” do resto da sua obra: é um disco que está a aceitar um futuro que está para vir, um futuro onde as pessoas são menos exigentes com o tempo que têm para a música e para a forma como abordam o seu tempo com a música (e, lá está, com a vida). É como se Kirby estivesse a ditar o fim de algo: da música ambiental, da capacidade de concentração para música exigente. É, por isso, inicialmente, um disco muito pesado. Demora tempo a processar e só é completo com as três partes, com as suas mais de três horas de música. Passados estes anos todos continua a ser pertinente, a mensagem ainda está lá e bem presente: exigimos de nós mesmos a concentração que necessitamos para ouvir certa música? Culpamos a falta de tempo, o excesso de informação, as nossas vidas, como se não tivéssemos controlo, como se fossemos obrigados a ir com a onda. Simultaneamente a isso, é um disco que vem de um lugar escuro, mas que se abre para lugares mais arejados quanto mais se ouve, se conhece. É um dos trabalhos mais importantes da história da música ambiental e provavelmente a obra mais realizada da carreira de Kirby. Um monumento que está a ser reeditado agora. Esta é só a primeira parte.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Segunda-feira, 14 Março, 2016

CONRAD SCHNITZLER Silber LP

€ 16,95 LP (2013 reissue) Bureau B

[audio:http://www.flur.pt/mp3/BB149-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB149-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB149-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB149-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB149-5.mp3]


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 21 Julho, 2011

PEOPLES POTENTIAL UNLIMITED: 12″ em stock

A editora Peoples Potential Unlimited e o colectivo Big Cartel têm feito um mundo de coisas para manter vivo o som boogie. Através de reedições dentro e fora do catálogo PPU podemos hoje ter acesso a discos, na sua maioria, impossíveis de arranjar. A riqueza underground da década de 80 continua a oferecer ângulos fascinantes bem fora do circuito habitual de revivalismo que se limita à mímica dos refrões. Uma geração de músicos e produtores sente hoje a influência da produção sedosa de algum R&B mais electrónico, da extroversão sintética da soul contemporânea dessa época, do pulsar mecânico dos ritmos funk cujas máquinas são hoje fetiche para quem procura o contacto com a fonte. Como já confessámos algumas vezes, estes discos representam para nós a mesma excitação de qualquer música nova que nos entusiasma. São importantes agora e têm valor intocado para chegar aos corações das senhoras e suavizar pessoal masculino que descobre ou redescobre um lado sensível. Em contrapartida, “Africa Bump / Party Together” acende o fogo primordial entre as coxas de cada um. Oiçam. E há packs de postais e autocolantes para quem comprar pelo menos um dos discos abaixo. Se quiserem peçam, podemos não nos lembrar.

BACK STREET BAND
Shake + Let’s Be Lovers
12″ Jenk-Al-Ron Records – 9.95 eur

A data no rótulo é 1982, a origem é Memphis, Tennessee, um dos centros nevrálgicos da cultura pop norte-americana. Soul gravada no Sul com a proposta irrecusável “Let’s Be Lovers” nem sequer formulada em forma de pergunta. É um facto, bitch. O amor está no ar e é sempre sempre clássico. “Shake”, antes disso, tem a guitarra em consonância com a linha de baixo sintética e a habitual frase de “bons tempos” em “the music makes me wanna dance all night” sem dispensar o comando “move your behind left and right and everything will be alright”. É isso que queremos ver. Reedição de 200 exemplares apenas.

THE LONI GAMBLE BAND featuring LISA WARRINGTON
I Like The Way You Do It + Tom Noble edit
12″ PPU – 8.95 eur

O visual de Loni Gamble é um misto de Lionel Richie e popstar africana e a sua música pós-Disco ocupa um lugar especial (oiçam por aí). Neste single, o funk tight dos 80s ainda se assume como épico Disco dos 70s com Lisa Warrington em modo CRU como se Patrick Adams produzisse a voz. O original de 1984 na editora Sound Modification de Filadéfia é reapresentado pela PPU em toda a glória boogie. Música de sedução com guitarra e teclas na frente do groove, quase 7 minutos para dançar de felicidade e deixar os quentes uuuhh e aaahh de Lisa Warrington inebriar os sentidos. “Keep taking me higher ’cause it feels so good”. O edit de Tom Noble reforça o instrumental e dá ênfase às manobras sedutoras da voz.

UNKNOWN / SUPERBS
Africa Bump / Party Together – Tom Noble edits
12″ PPU – 8.95 eur

Origens diferentes para os dois lados neste disco. “Party Together” é um número boogie rápido para a comunhão através da festa: “if we don’t get together we won’t last too long”. A mensagem em desespero é equilibrada por longa sequência instrumental. “Africa Bump” tira o título a um single do Grupo Santa Cecilia mas é alegadamente um original. Lipton Whitaker, da editora Lotus Land e colaborador de Tom Noble esclarece “Must say, this isn’t an edit of Africa Bump by Grupo Santa Cecilia (which is actually a fake moniker for Perez Prado anyway). This is actually an original that I named? after the Perez Prado 45″. Sem quaisquer pistas, partimos para este fogo impossível de conter com um pensamento na cena Bump que contagiou em tempos o funk latino. Basicamente tratava-se de música cujas letras davam directivas sobre como dançar a própria música. Neste “Africa Bump” a ordem é “Get down!”, aberta a interpretação livre por parte de dançarinos sérios. O eterno break acompanhado pelo baixo lembra vagamente “African Blood” de Supermax, mas o jogo de pratos bem alto na mistura e os sopros mais à frente reforçam o efeito selvagem pretendido. Monstro monstro.

Shake + Let’s Be Lovers
[audio:http://www.flur.pt/mp3/JAR0004-1.mp3]
[audio:http://www.flur.pt/mp3/JAR0004-2.mp3]

I Like The Way You Do It + Tom Noble edit
[audio:http://www.flur.pt/mp3/PPU021-1.mp3]
[audio:http://www.flur.pt/mp3/PPU021-2.mp3]

Africa Bump
Party Together – Tom Noble edit
[audio:http://www.flur.pt/mp3/PP1000-1.mp3]

Também disponíveis:
BOZEMAN & ROBERTS “Working Mama / Grandma”, 12″ PPU – 8.95 eur
GLASS PYRAMID “Glass Pyramid”, MLP PPU – 9.50 eur
THE MIDNIGHT EXPRESS SHOW BAND “Danger Zone”, 12″ Tri-Fire / PPU – 8.95 eur
MINORITY BAND “Tasty Tune”, 12″ PPU – 8.95 eur
ROBBIE M & TERRY PATTON “Tri-Fire Volume 2 1983-1986 “, 12″ PPU – 8.95 eur
VÁRIOS “District Maryland Virginia”, 12″ PPU – 8.95 eur


/ / Etiquetas: , , , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 31 Dezembro, 2009

Lista #5: Rádio Oxigénio

oxigenio

Rádio Oxigénio (Portugal)
102.6 FM

CANÇÕES MAIS PEDIDAS PELOS OUVINTES EM 2009

MARCELO D2 Desabafo
DEDY DREAD Steady Thug
HOUSE OF HOUSE Rushing To Paradise
STILL GOING Spaghetti Circus
CRAZY P Love On The Line (Unabombers remix) (na imagem)
FLORENCE AND THE MACHINE You’ve Got The Love (XX remix)
MAYER HAWTHORNE Green Eyed Love (Classixx remix)
AMADOU ET MARIAM Sabali
BEAT PHARMACY Rooftops
SOOPASOUL Brand Nu
METRONOMY Heartbreaker (Discodeine remix)
KID CUDI Day’n'Nite (Crookers remix)

oxigenio.fm


/ / Etiquetas: , / / Comentar: 2 Comentários »