Quarta-feira, 12 Abril, 2017

S.E.T.I. Knowledge CD

€ 7,00 CD Ash International / Hyperium (ASH 2.3)

Exemplares originais da edição alemã de 1994 / Original 1994 German release. Minor use. Sound clips and sleeve not from actual copy.

OUVIR / LISTEN:
Gathering
Concealment
Knowledge
Journey

Este álbum chega do período exploratório absolutamente dourado no vasto território de música ambiental. “Knowledge” soa tão adequado à expansão percepcional, trabalhada a partir da ciência rave (ou pós-rave, como quiserem), como ao tanque Isolacionista da época (ver compilação definidora, na Virgin, “Isolationism”). Com interferência de comunicações da NASA e outras vozes sem corpo no meio de um turbilhão pacífico muito austero de som espacial, a música confunde-se com actividades extra humanas, o som de outros organismos, do cosmos, de máquinas a manobrar, de John Carpenter a conceber a banda sonora para “The Thing”. oiçam com vagar. É uma viagem. Exemplares com sinais de uso que consideramos de menor importância.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 16 Janeiro, 2015

JÓHANN JÓHANNSSON & BJ NILSEN I Am Here LP

€ 18,50 € 16,95 LP Ash International

[audio:http://www.flur.pt/mp3/ASH111-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH111-2.mp3]

Dias felizes para Jóhann Jóhannsson, que depois de ganhar um Golden Globe (não se deve traduzir estas coisas, por favor) há semanas, com a sua banda sonora para “A Teoria De Tudo”, de James Marsh, vê-se nomeado para um Oscar (idem), elevando o seu estatuto a um nível planetário com o correspondente reconhecimento de pares e críticos. Esta tem sido parte substancial da sua obra recente e “I Am Here”, de 2014 mas com estreia comercial para este ano, é mais uma composição para cinema, aqui com a ajuda de BJ Nilsen, que com ele colabora pela primeira vez – Hildur Gudnadóttir é uma das convidadas. Obviamente que a parte orquestral é criada por Jóhannsson, e a parte electrónica por Nilsen, mas a fusão destes dois mundos é feita com imensa inteligência e, reconhecendo trabalhos antigos do islandês, não dá para traçar a linha da divisão com plena certeza: tudo coexiste num plano próprio. Música ambiental, emotiva como cristais de gelo a desfazerem-se ao sol, “I Am Here” é um álbum lindíssimo e tocante, longe das partituras (e discos) das bandas sonoras tradicionais – demasiado bom para ganhar prémios, não é? Edição apenas em LP e de tiragem limitada. A não perder.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 6 Julho, 2012

FENNESZ Aun CD

€ 14,50 € 12,50 CD Ash International

[audio:http://www.flur.pt/mp3/ASH95-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH95-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH95-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH95-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH95-5.mp3]

O livro dentro do CD traz-nos 28 páginas onde podemos sentir visualmente o que é o filme “AUN” de Edgar Honetschläger – provavelmente esta será a única maneira de ver o filme, que conta a história de um cientista japonês que vê o seu trabalho em torno das energias alternativas prosseguido por um matemático brasileiro, depois da sua trágica morte vinte anos antes. Mas, como todos deverão esperar, a música original de Fennesz para esta banda sonora pode bem dispensar as imagens, recorrendo ela própria à criação de todo um filme imaginário, parte abstracto, parte feito por todas as informações que circulam na nossa cabeça. Música atmosférica, que preenche todos os espaços livres com aquelas filigranas que são mais que identificáveis mas que nunca deixam de nos levitar. Três temas com o piano suspenso de Ryuichi Sakamoto trazem um colorido extra a um álbum que, tal como todos as obras de Fennesz, não falha nunca os seus objectivos. Parece doentio recomendar todos os discos do austríaco, mas o que se pode fazer depois de ouvir este “AUN” senão pedir-vos, pelo menos, para fazer o mesmo?

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 27 Janeiro, 2012

PURITY SUPREME Always Already 12″

€ 11,50 € 8,95 12″ Ash International

Passaram tantos anos desde “Witch” que quase duvidamos da sua importância. No início dos anos 90, um cometa chamado Leslie Winer, de quem não sabíamos nada – os search engines começavam nessa altura a nascer -, e de quem pouco ou nada soubemos depois disso. Ficou um disco emblemático, encerrado numa espécie de resumo de géneros e premonição de um futuro próximo que ainda hoje se elogia. Soube-se depois de algumas aventuras isoladas, mas nada que desse para construir um rasto criativo desta ex-modelo que, paradoxalmente, detestava as luzes da ribalta. De repente, eis Leslie Winer de novo: começou a lançar a sua ácida poesia para cima de electrónica escolhida a dedo por homens da Touch, Ash e Tapeworm (esta última edita uma cassete com restos da colecção de 90) e liga-se a ao francês Christophe van Huffel para um novo projecto chamado Purity Supreme. Do dub de “Witch”, ouvimos agora uma espécie de desert sessions, com Winer desolada, eléctrica, a largar palavras como uma cowgirl revoltada. A sua voz tem este dom: um peso específico incrível, uma gravidade poderosa, que faz a música, seja ela qual for, navegar em seu redor. Quatro temas apenas, mas que demonstram o valor de mercado de Leslie Winer, num regresso que, sem sabermos bem, parece ser oficial. Talvez se percebam melhor muitas coisas no seu concerto este fim-de-semana no Maria Matos.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 24 Setembro, 2010

THOMAS ANKERSMIT Live In Utrecht CD

€ 14,50 € 12,50 CD Ash International

Thomas Ankersmit é um jovem holandês de 30 anos que, embora tenha embarcado na exploração do saxofone, há alguns anos que se dedica ao mundo electrónico e à composição para instalações sonoras. Apesar do seu amor mais recente, Thomas não largou o saxofone como fonte para muitos dos seus sons, posteriormente manipulados e transformados. Vive actualmente em Berlim, onde desenvolve intensa actividade no preenchimento do espaço, em design sonoro e na procura da aventura perfeita com os seus sintetizadores analógicos. Tem experiência acumulada com Phill Niblock – com quem nos visitou, em Serralves, em 2008, também com a companhia de Katherine Liberovskaya, artista vídeo e multimédia fora do comum -, Valerio Tricoli, Tony Conrad ou a recém-falecida Maryanne Amacher. A sua intrépida vontade de dominar o saxofone para além dos seus limites fá-lo ficar ao lado de nomes como Evan Parker, Peter Evans ou Mats Gustafsson, e a sua mestria na aliança digital e analógica fá-lo ficar bem colocado no panteão da Touch. “Live In Utrecht” justifica esse prémio pelo claro domínio de uma linguagem que poucos conseguem aperfeiçoar. São 40 mintuos de uma caminhada resoluta pelos ventos de campos electrificados.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 11 Setembro, 2009

MARIACHI AZTECA PRINCIPAL Performs The Elgaland-Vargaland National Anthem #2 7″

€ 15,50 € 12,50 CD Editora

Como se cria um novo Estado sem perturbar países vizinhos, sem entrar em guerras regionais ou provocar resoluções inconsequentes da ONU? Como se cria uma nova nacionalidade que todos queremos ter, um território em que a liberdade impera e todos os nossos movimentos sejam possíveis? Como se pode pegar numa brincadeira, torná-la séria e depois, por fim, divertirmo-nos com tudo? Carl Michael von Hausswolff e Leif Elggren encontraram resposta para estas perguntas quando criaram o seu reino – juntos para conquistar? – de Elgaland-Vargaland (KREV), em 1992. Desde então, dezenas de ministérios, embaixadas e consulados espalham a mensagem por todo o mundo, e todos os anos o seu território é maior. Todos os terrenos e espaços não reclamados passaram para o domínio da soberania KREV: territórios terrestres (espaço entre fronteiras, zonas desmilitarizadas, águas internacionais, etc…), mundos virtuais e espaço digital, e toda a variedade de estados mentais. Há bandeira oficial, há selos de correio próprios, já houve passaportes emitidos e há um hino que serve regularmente para ilustrar os encontros diplomáticos. Dois desses encontros têm o retrato em singles. Primeiro, a versão mariachi, gravada em Agosto de 2002 durante a inauguração da embaixada na Cidade Do México. O outro single documenta a abertura da embaixada alemã em Berlim, em 2006, com a gravação do hino pelo grupo de afrobeat Kabukabu (lado A) e pelo ensemble Klezmer Chidesch (o outro lado). Edições numeradas, limitadas a 500 e Mike Harding, o embaixador britânico de Elgaland-Vargaland e presidente da Touch já avisou que estão a esgotar.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: 2 Comentários »

Sexta-feira, 11 Setembro, 2009

KABUKABU & KLEZMER CHIDESCH Perform The Elgaland-Vargaland National Anthem #3 #4 7″

€ 5,95 7″ Ash International

Como se cria um novo Estado sem perturbar países vizinhos, sem entrar em guerras regionais ou provocar resoluções inconsequentes da ONU? Como se cria uma nova nacionalidade que todos queremos ter, um território em que a liberdade impera e todos os nossos movimentos sejam possíveis? Como se pode pegar numa brincadeira, torná-la séria e depois, por fim, divertirmo-nos com tudo? Carl Michael von Hausswolff e Leif Elggren encontraram resposta para estas perguntas quando criaram o seu reino – juntos para conquistar? – de Elgaland-Vargaland (KREV), em 1992. Desde então, dezenas de ministérios, embaixadas e consulados espalham a mensagem por todo o mundo, e todos os anos o seu território é maior. Todos os terrenos e espaços não reclamados passaram para o domínio da soberania KREV: territórios terrestres (espaço entre fronteiras, zonas desmilitarizadas, águas internacionais, etc…), mundos virtuais e espaço digital, e toda a variedade de estados mentais. Há bandeira oficial, há selos de correio próprios, já houve passaportes emitidos e há um hino que serve regularmente para ilustrar os encontros diplomáticos. Dois desses encontros têm o retrato em singles. Primeiro, a versão mariachi, gravada em Agosto de 2002 durante a inauguração da embaixada na Cidade Do México. O outro single documenta a abertura da embaixada alemã em Berlim, em 2006, com a gravação do hino pelo grupo de afrobeat Kabukabu (lado A) e pelo ensemble Klezmer Chidesch (o outro lado). Edições numeradas, limitadas a 500.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 7 Maio, 2009

GEIR JENSSEN Cho Oyu 8201m: Field Recordings From Tibet CD

€ 12,50 CD Ash International

[audio:http://www.flur.pt/mp3/ASH7-1-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH7-1-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH7-1-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH7-1-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH7-1-5.mp3]

Edição cartonada, inclui livro.


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »