Sexta-feira, 9 Novembro, 2018

JLIN Autobiography CD / 2LP

€ 11,50 CD Planet Mu

€ 19,95 2LP Planet Mu

Esta colaboração com o coreógrafo Wayne McGregor assinala a aplicação da música de Jlin a uma dimensão corporal, algo que já parecia óbvio antes mesmo de o álbum estar concretizado. A grelha de percussão e o som de sintetizadores à distância transmitem, simultaneamente, uma experiência impessoal, seca, de como um corpo se pode mover em resposta a constantes paragens e arranques. “Unorthodox Elements” tem tanto de footwork como de Aphex Twin, e é acompanhado por outras faixas análogas que ameaçam qualquer estrutura como Godzilla mecânico a caminhar em direcção à baixa de Tóquio. Mas como é habitual em Jlin, os sons são auto-explicativos, não requerem qualquer enquadramento teórico / histórico. A sua forma e função são imediatamente captadas por quem se apresentar com disponibilidade. No turbilhão, alguns momentos mais íntimos são dispostos como folhas de árvore em cima de uma mesa, para recolha e uso pessoal de quem necessita de se afastar uns momentos (as duas partes de “Anamenesis” e os dois interlúdios). Exercício total de visita a zonas do corpo praticamente desconhecidas até serem forçadas a entrar em acção.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 25 Maio, 2017

JLIN Black Origami CD / 2LP

€ 12,50 CD Planet Mu

€ 21,50 2LP Planet Mu

[audio:http://www.flur.pt/mp3/ZIQ376-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ376-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ376-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ376-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ376-5.mp3]

Tal como em muitos outros discos, título e capa parecem conter toda ou quase toda a interpretação da música. “Black Origami”, e o facto de ser um elefante, remete para África, e é com esse legado que Jlin trabalha, num disco que, de acordo com a própria editora, assenta fortemente em percussão. Noutras latitudes, Jlin retira inspiração do Extremo Oriente (Japão e Índia). Na verdade, a percussão tem mais espaço e quase se basta a si mesma, extraindo progressivamente a música de um universo bass e footwork mais reconhecível. “Nyakinyua Rise” quase poderia ser uma gravação de Mustapha Tettey Addy ou outro mestre percussionista africano, desviado para Oriente. “Holy Child” tem William Basinski (que lhe enviou um loop de vozes femininas do Báltico); “1%” tem Holly Herndon. No todo, o álbum regula-se perfeitamente sem necessidade de exuberância, mantendo sim um tom austero, que o primeiro álbum já tinha, mas, enquanto esse era nitidamente apocalíptico, “Black Origami” soa mais concentrado numa busca de identidade. Não é um processo feliz, mas é claramente afirmativo.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , , , , / / Comentar: aqui »

Terça-feira, 28 Fevereiro, 2017

JLIN Dark Lotus 12″

€ 8,95 12″ Planet Mu

[audio:http://www.flur.pt/mp3/ZIQ384-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ384-2.mp3]


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 1 Maio, 2015

JLIN Dark Energy CD

€ 15,50 € 12,50 CD Planet Mu

€ 19,50 2LP Planet Mu

[audio:http://www.flur.pt/mp3/ZIQ356-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ356-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ356-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ356-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ZIQ356-5.mp3]

Um álbum que transporta a estética footwork para outras paragens. Ambientes não menos paranóicos mas há quase como que uma paragem para pensar e deixar um certo espaço para que a acção se desenrole à vontade. “Erotic Heat” é um híbrido mais que interessante, admitindo na sua construção elementos de dubstep e uma voz cortada que, até certo ponto, dá para imaginar como melódica numa faixa de Augustus Pablo. “Black Diamonds”, a seguir, reforça o peso, e estes beats assumem uma postura que, fosse outra a estética, chamaríamos de “industrial”. Tratando-se de footwork, somos sempre expostos a muita pressão rítmica. Jlin parece, no entanto, retirar-se da rua para operar mais acima. Não que isso seja uma manobra de superior ou inferior qualidade, é simplesmente um ponto de vista que soa mais distanciado da comoção ao nível do passeio. “Dark Energy”, como um todo, parece mais inclinado a desenhar uma ideia grandiosa de como o futuro pode ser perigoso. É o que o som transmite. Nada pacífico.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »