Sábado, 20 Abril, 2013

Deutsche Elektronische Musik 2 (RECORD A) 2LP

€ 20,50 2LP Soul Jazz

[audio:http://www.flur.pt/mp3/SJRLP2651-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRLP2651-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRLP2651-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRLP2651-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRLP2651-5.mp3]

Experimental german rock and electronic Music 1971-1983.
Capa gatefold com notas informativas no interior.


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Terça-feira, 19 Março, 2013

CONRAD SCHNITZLER Ballet Statique (Con) CD

€ 17,50 € 15,50 CD M=Minimal

[audio:http://www.flur.pt/mp3/MM-004CD-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/MM-004CD-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/MM-004CD-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/MM-004CD-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/MM-004CD-5.mp3]

Reedição agora em CD mais faixa extra: “Red Cassette”, cassete de 1974.


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Terça-feira, 5 Março, 2013

V/A Deutsche Elektronische Musik 2 2CD + LIVRO

€ 17,50 2CD + LIVRO Soul Jazz

[audio:http://www.flur.pt/mp3/SJRCD265-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRCD265-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRCD265-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRCD265-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SJRCD265-5.mp3]


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 15 Fevereiro, 2013

CAN The Lost Tapes 5LP

€ 72,50 5LP Spoon

[audio:http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-5.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-6.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-7.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-8.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-9.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOON55-10.mp3]


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 22 Novembro, 2012

PRINS THOMAS Prins Thomas 2 CD / 2LP+mp3

€ 16,50 € 12,50 CD Full Pupp  ENCOMENDAR

€ 18,50 2LP+mp3 Full Pupp  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/FPCD008-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/FPCD008-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/FPCD008-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/FPCD008-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/FPCD008-5.mp3]

Prins Thomas é um dos sérios e o respeito que tem é inteiramente merecido. Foi um dos responsáveis pela mudança de paradigma da música de dança, quando as coisas ficaram outra vez Disco e House. Este segundo álbum sozinho é um álbum de produtor, pouco interesse na melodia, não é esse tipo de disco. Thomas fez quase um álbum-ferramenta para ser usado do princípio ao fim, uma excursão rítmica que dispensa o termo “baleárico” porque desta vez nada tem que ver com ele. No CD são 8 faixas de dança (misturadas) que utilizam os melhores sistemas de direcção. Ênfase na percussão, é a base que tudo sustenta nesta abordagem militante e aberta dos pergaminhos house, techno e disco.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Segunda-feira, 22 Outubro, 2012

PRINS THOMAS ORKESTER Oving EP 2×12″

€ 16,50 2×12″ Full Pupp  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/FPLP007-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/FPLP007-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/FPLP007-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/FPLP007-4.mp3]


Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 14 Setembro, 2012

CAN The Lost Tapes 3CD+LIVRO 10″

€ 37,95 3CD+LIVRO (Formato 10″) Spoon  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/SPOONCD55-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOONCD55-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOONCD55-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOONCD55-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/SPOONCD55-5.mp3]

Ainda não tínhamos falado desta soberba edição de um dos nossos grupos favoritos de todo o sempre. Se a chama nunca se extinguiu, as reedições de há uns anos dos álbuns trouxeram novas audições – e em alguns álbuns são mesmo novas audições -, e agora temos mais um pequeno grande extra. Uma caixa bem luxuosa para três discos com material oriundo de ensaios, gravações ao vivo e algumas aventuras controladas e descontroladas em estúdio. Parecemos crianças com um presente no Natal, mas é verdade que qualquer coisa Can é bem-vinda. E não exageramos uma palavra. Em maior ou menor grau, a música aqui – e há mesmo muita música dentro desta caixa – é transcendental. Este espólio, que reúne o melhor das dezenas de horas de música que se encontraram acidentalmente na remodelação do estúdio – conta-se que estavam a servir de isolamento sonoro -, é mais uma oportunidade para vermos como há quarenta anos a música foi tão perfeita. “Future Days” fará essa marca em breve, e o futuro bem podia ser todo assim. Edição essencialíssima.


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 7 Setembro, 2012

DOMINIK VON SENGER
Only Love Can Take Us Home 12″

€ 11,50 12″ Golf Channel  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL023-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL023-2.mp3]

Aparenta ser um original recente deste músico em tempos ligado à Phantom Band e com algum material a solo disperso pelos 80s e 90s. Um misto bizarro de Silver Apples, Primal Scream, Espaço e Ibiza em duas misturas de Thomas Bullock (Welcome Stranger / Rub-N-Tug). Groove etéreo com guitarra ácida, talvez uma combinação improvável mas em perfeito encaixe nas duas versões aqui: lado A mais rápido, lado B absolutamente letárgico, lembrando o incrível “In The Skies” de Peter Green. Sério.

 

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 7 Setembro, 2012

SPIKE New Germany 12″

€ 11,50 12″ Golf Channel  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL022-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL022-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL022-3.mp3]

Segunda actualização pela Golf Channel do espólio de Spike Wolters, que gravou alguns álbuns na primeira metade dos 80s. “New Germany” tem auto-estrada kraut em plena função (pode ser a longa estrada americana, também) e, em “Apollo”, ouvimos uma possível pré-história da matéria que Ariel Pink tão caracteristicamente trabalha hoje em dia. Nenhum destes originais tem qualquer fraqueza e, depois, DJ Nature refaz “New Germany” em groove house minimalista genial. Vale tudo a pena, neste disco.

 

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Segunda-feira, 6 Junho, 2011

ROEDELIUS Selbstportrait LP

€ 16,50 € 13,95 LP Bureau B  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/BB063LP-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB063LP-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB063LP-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB063LP-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB063LP-5.mp3]

Metade dos Cluster, Roedelius não esgotava aí a sua criatividade. Durante boa parte da década de 70 gravou virtualmente tudo o que tocava, de forma a captar momentos de inspiração para posterior reciclagem. As gravações eram frequentemente feitas em fita já usada (fita nova era dispendiosa), com pouca preocupação em relação à qualidade sonora. Ouvindo os dois discos, “Selbstportrait Vol. I” e “Selbstportrait Vol. II”, gravados entre 1973 e 79, mergulhamos num ambiente confortável de isolamento melancólico, descoberta progressiva de caminhos que aproximavam Roedelius de uma espécie de redenção. As pequenas peças em ambos os álbuns (algumas inéditas) não são coisas frágeis – a sua melancolia é perfeitamente sólida, uma fuga calma e programada que, a espaços, alcança o Oriente via orgão Farfisa sem sair das montanhas da Áustria e Sul da Alemanha (já suficientemente longínquas para nós). Talvez seja música para iniciados, falará pouco ao coração de quem não está familiarizado com a evolução do rock alemão nos 70s ou o universo particular de Moebius / Roedelius, mas trata-se de música sem fronteiras, bonita e aberta o suficiente para ser apropriada por quem precise ou simplesmente goste de a preencher com vida imaginada.


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 18 Fevereiro, 2011

HARALD GROSSKOPF Synthesist + Reinterpretations LP+CD

harald

€ 19,50 LP+CD RVNG Intl.  ENCOMENDAR

Cliché dos clichés, o futuro é cada vez mais uma porta para entrarmos para o passado. Ou ainda, o presente/futuro vive dependente desse passado que estamos sempre a descobrir, nalguns casos redescobrir. Tanto na música de dança, na electrónica e no rock, a influência dos sintetizadores alemães da Sky tem-se feito sentir nos últimos anos. A cada disco que redescobrimos desse catálogo – e de outros, claro – descobrimos um paralelo/elo com o presente. Harald Grosskopf tocou nos Ash Ra Temple, nos Cosmic Jokers, com Klaus Schulze; a solo estreou-se com “Synthesist”, aventura cósmica ritmíca, feliz encontro entre o típico cenário kosmische com uma batida krautrock (há muito de Can por aqui). Grosskopf estava habituada a acompanhar outros músicos (era baterista) e, neste álbum, passou 6 semanas sozinho com um mínimo de orientação técnica fornecida por amigos músicos e muitos problemas de afinação de máquinas. Alguns temas são reconhecíveis por já terem sido incluídos nalgumas compilações ou reeditados em maxi nalguns bootlegs. Faz sentido que “Synthesist” encontre uma segunda vida numa editora mais ligada à dança, que soube entender o alcance deste som e reeditar o original acompanhado de um CD com reinterpretações de artistas actuais que são influenciados, melhor, têm elos de ligação, com aquilo que Grosskopf registou neste disco: Oneohtrix Point Never, james Ferraro, Stellar Om Source, ARP, JD Twitch, etc. Edição MUITO limitada, já temos poucos exemplares.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 9 Dezembro, 2010

ZAZA Zauberstab + instrumental 7″

za za

€ 4,50 7″ Blow Up / Intercord (INT110.509)

Exemplares originais de 1982 em excelente estado

<a href="http://www.youtube.com/watch?v=4DlA18dcFFQ?hl=en"><img src="http://blog.flur.pt/wp-content/plugins/images/play-tub.png" alt="Play" style="border:0px;" /></a>
<a href="http://www.youtube.com/watch?v=uQiNF6hUQGk?hl=en"><img src="http://blog.flur.pt/wp-content/plugins/images/play-tub.png" alt="Play" style="border:0px;" /></a>

ZaZa foram quase ‘one-hit wonder’ na cena New Wave alemã de 80s. Editaram um LP (homónimo, em 1982) e três singles (1981 e 82), dos quais “Zauberstab” conseguiu chegar ao oitavo lugar do top alemão de singles numa época em que o ouvido do público estava treinado com Grauzone, Rheingold, Trio, DAF, Kraftwerk e outros. No entanto, “Zauberstab” (“Varinha Mágica”, em português) foi banido de algumas estações de rádio porque a letra juntava “varinha mágica” e “amor” numa mesma frase. Peter La Bonté era também designer, concebeu algumas capas de discos, e a sua presença corresponde a todos os tiques new wave que aprendemos a odiar e a adorar de novo. Se vos faz confusão o single ser cantado em alemão, basta virar para o lado B com – SIM – o instrumental que sobe a música a um patamar de delícia bem elevado. Complexa, com groove, meio kraut e synth pop, algures entre DAF e Der Plan, uma descoberta não tão rara assim mas conseguimos um punhado de exemplares em bom estado (vinil e capa como aparece no topo deste post). “Zauberstab” também existe em 12″ mas estamos a falar de outros preços e, além disso, a versão é igual à do 7″. Imperdível.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , , / / Comentar: aqui »

Segunda-feira, 6 Dezembro, 2010

MOEBIUS & BEERBOHM Strange Music LP

€ 16,50 € 13,95 LP Bureau B  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/BB057LP-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB057LP-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB057LP-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB057LP-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB057LP-5.mp3]

“Strange Music” segue de perto o que Conrad Schnitzler havia feito em 1981 num álbum gravado com o seu filho Gregor, espelhando o material de Cabaret Voltaire da mesma época (“Mix Up e “Voice Of America”, essencialmente). Dieter Moebius e o baixista Gerd Beerbohm transmitem, nestes dois álbuns, uma energia livre e mais extrovertida do que se conhece habitualmente m Moebius ou nos Cluster. Um certo flow pós-punk (e NDW, a New Wave alemã) + o seu característico desafio do formato rock, uma mistura inusitada de dub e free jazz (em “883″) e outras ideias selvagens resultam, nesta colaboração, em momentos de energia especialmente inspirados, uma zona de guerra virtual em que se pode arriscar tirar olhos sem realmente ferir ninguém.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 14 Outubro, 2010

E.M.A.K. A Synthetic History Of E.M.A.K. 1982-88 CD / 2LP

EMAK

€ 17,50 CD Universal Sound  ENCOMENDAR

€ 17,50 2LP Universal Sound

Talvez já o tenhamos dito noutra ocasião, mas a década de 80 continua fértil em música incrível, bem longe dos clichés associados à década. Basta uma pitada de espírito exploratório e vários mundos se revelam, subitamente, ao nosso alcance. Parte da responsabilidade pode ser atribuída ao trabalho compilatório de editoras como a Soul Jazz. Da recente “Deutsche Elektronische Musik” é agora destacado E.M.A.K. para disco próprio, uma retrospectiva de música gravada entre 1982 e 1988. Com excertos dos três álbuns, cujas capas apenas tinham as palavras ELEKTRONISCHE MUSIK AUS KOELN formando um E gigante, este colectivo de Colónia situou-se no exacto interstício entre a herança de Cluster e o que já estava a acontecer com os DAF. Na sua música ouvimos tudo o que gostamos no som cósmico dos 70s mas também o lado mais sintético da pop electrónica que reinou durante esses anos. Clara influência em nomes posteriores como Mouse On Mars, E.M.A.K. representaram o típico som germânico numa fase de mutação em que se ouviam coisas destas em algumas pistas de dança. Som anónimo, muito apropriado a sonorizar narrativas, imagens, espaços. Matéria clássica.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 26 Agosto, 2010

DOMINIK VON SENGER No Name 2009 12″

dominik von senger

€ 10,95 12″ Golf Channel

Von Senger é um nome recentemente recuperado, ex-elemento de Phantom Band (primeiro álbum desta banda é genial – leiam aqui) e de outras bandas nos 80s (Dunkelziffer, etc.), também gravou a solo, e é do primeiro álbum (“The First”, 1983) que sai “No Name”. Originalmente com pouco mais de 3 minutos, a faixa foi agora regravada pelo próprio Domink Von Senger com colaboraç\ao do baixista e co-produtor original: Rosko Gee. O resultado é meio Sly & Robbie cósmico, muito sentimental em cima de um groove que poderia nunca parar. No lado B há uma versão feita por Hey Convicts! com a participação de Brennan Green, fiel ao original mas com um tom mais House Of House / DFA.


Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 16 Julho, 2010

MOEBIUS Tonspuren LP

€ 16,50 € 13,95 LP Bureau B  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/BB040CD-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB040CD-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB040CD-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB040CD-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB040CD-5.mp3]

Os Cluster já foram o grupo electrónico mais cool do planeta, uma espécie de sombra dos Kraftwerk, sem a dimensão global destes mas com um trabalho na obscuridade que se revelou influente mais de duas décadas depois, muito pouco na sua época. Dieter Moebius, metade de Cluster, editou o seu primeiro disco a solo em 1983 – “Tonspuren” retém o som do grupo, um conjunto de canções pop no outro lado do espelho, bizarras peças melódicas que encaixam perfeitamente na cabeça de quem hoje está familiarizado com o som de Ariel Pink, Washed Out, Skaters e outros expoentes da chamada chillwave. Havia um mundo novo, então, e a audição de “Tonspuren”, hoje, abre uma porta para essa época exploratória sem comprometer minimamente a ideia de criatividade que se possa ter no século XXI.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Terça-feira, 6 Julho, 2010

MOEBIUS & PLANK Material LP

€ 16,50 € 13,95 LP Bureau B  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/BB49CD-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB49CD-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB49CD-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB49CD-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB49CD-5.mp3]

É um erro menosprezar a década de 80 quando se procura krautrock e material cósmico produzido na Alemanha. As fundações estão certamente nos 70s mas a consistência regular de alguns músicos originou grandes discos nos 80s. A colaboração entre Dieter Moebius e Conny Plank teve dois desses grandes discos, “Rastakraut Pasta” em 1980 e “Material” em 1981.
Em “Material”, e estranhamente logo na faixa de abertura, parece haver um retrocesso no tempo até ao inescapável fantasma dos Neu!, mas essa aparente linhagem rítmica (comum a vários outros grupos alemães) desfaz-se no resto do disco, mais imprevisível e aventureiro. A música evolui livre de constrangimentos, vagamente preocupada com melodia mas de uma forma rude e espontânea. As cabeças destes músicos iluminados construiam os cenários enquanto colavam os materiais, é fácil observar a improvisação frequentemente mascarada de composição pouco polida e, naturalmente, gostar do resultado. Se quiserem também pegar por outro ângulo, “Material” indica já vários detalhes sónicos encontrados ao longo da década em música utilizada em clube, a cena Cósmica tão comentada hoje em dia.


Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Segunda-feira, 5 Julho, 2010

MOEBIUS & PLANK Rastakraut Pasta LP

€ 16,50 € 13,95 LP Bureau B  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/BB48CD-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB48CD-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB48CD-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB48CD-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB48CD-5.mp3]

É um erro menosprezar a década de 80 quando se procura krautrock e material cósmico produzido na Alemanha. As fundações estão certamente nos 70s mas a consistência regular de alguns músicos originou grandes discos nos 80s. A colaboração entre Dieter Moebius e Conny Plank teve dois desses grandes discos, “Rastakraut Pasta” em 1980 e “Material” em 1981.
No título e na atitude, “Rastakraut Pasta” tornava óbvia a ligação que algum rock alemão sentia com o dub. Moebius (dos Cluster) e Plank (incontornável produtor, músico e engenheiro de som – demasiadas referências para enumerar, procurem o nome dele) elaboram uma fantasia tropical futurista com a propulsão motorik a ser desafiada pelos ritmos mais preguiçosos de uma simulação dub na caixa-de-ritmos e o skank numa guitarra que quase soa falsa, pelo menos tanto como a de Flying Lizards soava no mesmo ano.Percebe-se também onde os Mouse On Mars se inspiraram, este álbum é feito de um conjunto de canções experimentais superlativas.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 16 Junho, 2010

PHANTOM BAND Freedom Of Speech LP

€ 16,50 € 13,95 LP Bureau B  ENCOMENDAR

[audio:http://www.flur.pt/mp3/BB46.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB46-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB46-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB46-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/BB46-5.mp3]

Temos um fraco por editoras com uma missão: quem nos segue já terá reparado no modo especial como tentamos tratar algumas editoras como a Stones Throw, Honest Jon’s, Jazzman ou Finders Keepers. A Bureau B faz parte desse lote desde que iniciou a série de reedições do catálogo da Sky, clássicos alemães do final da década de 70 e início dos anos 80.
A Sky, de Hamburgo, continuou a mostrar ao mundo alguma música genial que estava a ser feita na Alemanha e que já tinha atraído outros génios como Brian Eno que, aliás, aparece nesta história ao lado dos Cluster (reedições dos seus álbuns também na Bureau B). Phantom Band era a outra banda de Jaki Liebezeit mas a verdade é que os seus dois primeiros álbuns saíram já quando os Can tinham terminado o ciclo que os tornou fundamentais na história da música. “Phantom Band” (1980) e “Freedom Of Speech” (1981) prolongam o estado de graça destes músicos (Jaki Liebezeit, Dominik Von Senger e Helmut Zerlett formavam o núcleo de Phantom Band).
Em “Freedom Of Speech” parece quase outra banda (em relação a “Phantom Band”). Muito maior importância da voz em diversos contextos, e uma ambiência geral em todo o álbum que remete para as fusões nova-iorquinas do mesmo período (Ike Yard encontra Lizzy Mercier Descloux, por vezes). Mais dub, também. E, se temos de atribuir locais para estes álbuns, “Phantom Band” = beira-mar num local exótico enquanto “Freedom Of Speech” = cidade. Rosko Gee, ex-baixista dos Can e dos Traffic de Steve Winwood, não participa já no segundo álbum, e a grande diferença de ambiência entre os discos talvez se deva à sua influência na produção do primeiro.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 16 Junho, 2010

PHANTOM BAND Phantom Band LP

€ 16,50 € 13,95 LP Bureau B  ENCOMENDAR

Temos um fraco por editoras com uma missão: quem nos segue já terá reparado no modo especial como tentamos tratar algumas editoras como a Stones Throw, Honest Jon’s, Jazzman ou Finders Keepers. A Bureau B faz parte desse lote desde que iniciou a série de reedições do catálogo da Sky, clássicos alemães do final da década de 70 e início dos anos 80.
A Sky, de Hamburgo, continuou a mostrar ao mundo alguma música genial que estava a ser feita na Alemanha e que já tinha atraído outros génios como Brian Eno que, aliás, aparece nesta história ao lado dos Cluster (reedições dos seus álbuns também na Bureau B).
Phantom Band era a outra banda de Jaki Liebezeit mas a verdade é que os seus dois primeiros álbuns saíram já quando os Can tinham terminado o ciclo que os tornou fundamentais na história da música. “Phantom Band” (1980) e “Freedom Of Speech” (1981) prolongam o estado de graça destes músicos (Jaki Liebezeit, Dominik Von Senger e Helmut Zerlett formavam o núcleo de Phantom Band).
A abertura de “Phantom Band” – “You Inspired Me” – cruza na perfeição uma secção rítmica disco com guitarra soft rock e uma voz na linha de Steely Dan / Donald Fagen. A bateria de Liebezeit, sempre livre mas metronómica, incide especialmente nos trópicos (África, Jamaica), reforçando aquilo que sentimos em alguns momentos do álbum, quando os sintetizadores estão também no alinhamento certo: há um paralelismo inevitável com Supermax. “Phantom Band” segue, no entanto, uma direcção mais imprevisível, quase sempre assente num groove funk e africano. “Rolling”, no meio do álbum, regressa a uma espécie de soft rock cósmico, e daí em diante ouvimos ainda música que antecipa em cerca de uma década o que depois se chamou pós-rock. Indispensável para quem seguiu o trilho dos Can e entende que “quando as coisas ficam mais pop” não têm de ser comerciais, também para quem tem seguido os produtores nórdicos (sobretudo Lindstrom, Prins Thomas e Bjorn Torske) nos últimos 5 anos e, claro, indispensável para quem ouve música com prazer.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »