Sexta-feira, 5 Abril, 2019

DAVID BEHRMAN On The Other Ocean LP

€ 25,95 LP (2019 reissue) Lovely Music

OUVIR / LISTEN:
On The Other Ocean

Se em 1977 Robert Ashley encontrava a eternidade com “Private Parts”, David Behrman criava ondas de futuro, também no Mills College, com a ajuda de um computador primitivo. A sonoridade não é estranha e tem sido revisitada através das reedições e da descoberta de muita música feita para computador no final dos anos 1970 e início da década de 1980. Era música que servia publicidade, experiências, mas que também começava a ser possível graças à chegada dos primeiros computadores pessoais. “On The Other Ocean” é uma onda magnífica de som, que se expressa pelo diálogo constante de descoberta em como improvisar com uma máquina. Há um lado de inocência que se conjuga com uma surpresa em movimento, ligeiras flutuações que tornam a experiência sonora numa aventura concentrada e que gentilmente fornece a estética para muita música que se faria na década seguinte: e cujas subtilezas ainda hoje são padrão em música electrónica/ambiental que segue estas ordens. Uma brisa maravilhosa de descoberta e autodescoberta, de música num constante processo de reinvenção. Ainda fresca, mais de quarenta anos depois.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 5 Abril, 2019

ROBERT ASHLEY Private Parts LP

€ 25,95 LP (2019 reissue) Lovely Music

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2

Numa década onde a proliferação de reedições permitiu uma espécie de reentrada de música nova nos ouvidos, que criou e facilitou tendências, mostrou os equívocos entre o passado, presente e o futuro, é particularmente incómodo – no melhor dos sentidos – notar que a música de Robert Ashley ainda causa perplexidade. A voz, a clarividência das acções para que a voz remete, concretizam a maior e mais bela inocência que a música pode perpetuar. Originalmente composto em 1977, no Mills College, “Private Parts” – que não estava disponível em vinil desde a sua edição original, em 1978 – é um portal de muitas camadas, conduzido pelas narrativas palpáveis de Robert Ashley, enquanto uma composição consciente, quase imperceptível, por vezes, se ouve ao fundo, formando um cenário para todas as acções da voz de Ashley. Importa menos o que Ashley diz, importa o que se capta, as sensações, as ferramentas para entrar num mundo abstracto e carregar com ele às costas. A música de Robert Ashley é uma constante chamada de atenção, uma visão muito cromática de um mundo que ainda hoje vivemos: e é o mundo de hoje, o presente, que se adapta à música de Ashley e não o contrário. O ouvinte sai de um qualquer lugar para viver estas “óperas” que são portais para todas as realidades. Essa capacidade de ser o que se quiser é uma das maiores virtudes de Robert Ashley: meditação, disrupção, reflexão, new age ou o som de uma vida. Poucas obras têm o dom de transformar tudo o que se sente depois de serem ouvidas, a discografia de Robert Ashley é um estado de felicidade que se leva para qualquer lado. Fica-se mais iluminado, feliz, rico. “Private Parts” é um dos maiores portais para um outro estado de consciência, livre do tempo, das pressões do presente, do passado e do futuro. Não é por conveniência que “Private Parts” é um disco obrigatório. É porque a vida é muito melhor com um álbum assim.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , , , , / / Comentar: aqui »