Quinta-feira, 11 Abril, 2019

ROBERT HOOD Internal Empire CD / 2LP

€ 12,50 CD (2019 reissue) Tresor

€ 29,95 2LP (2019 reissue) Tresor

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5

“Internal Empire” significou, com “Minimal Nation”, no mesmo ano de 1994, uma marca autoral absolutamente vincada. Robert Hood já tinha fundado Underground Resistance (com Mike Banks e Jeff Mills) e com isso lançou as bases do mais duradouro bastião techno em actividade. Como Jeff Mills, isolou componentes e inventou o techno minimal que chegou até hoje. “Internal Empire” não oferece pausas, talvez se aproxime de uma pausa em “Home”, faixa mais atmosférica onde se escuta uma simulação da chegada de ondas a uma praia. Muitos minutos de energia solta num formato que, a partir de regras bastante simples, representa ainda e sempre o passo do futuro.


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 11 Abril, 2019

MARCOS VALLE Previsão do Tempo LP

€ 28,95 LP (2019 repress) Light In The Attic

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5

Provavelmente a capa mais icónica de Valle, mas também o disco que arranca com uma das suas canções mais contagiantes: “Flamengo Até Morrer”. Completando o ciclo de quatro álbuns em quatro anos, “Previsão Do Tempo” (1973) é o álbum catarse depois da maravilha que é “Vento Sul”. É o disco mais groovy dos quatro, é uma espécie de sumário destes quatro anos loucos de Marcos Valle. Há mais presença de electrónica/sintetizadores e em vez de soar a algo ainda mais próximo do soul e funk norte-americano que abraçou noutros álbuns, Valle conquista aqui terreno próprio, onde as influências são claramente abafadas pelo seu génio e pelo importante contributo dos Azimuth (posteriormente Azymuth). Os sons electrónicos entram perfeitamente naquilo que bebeu anteriormente (samba, bossa nova, psicadelismo) e não parecem intrusos, mas pinceladas essenciais para o desenvolvimento do quadro da carreira do músico brasileiro. É também o disco mais jazz destes quatro, mas com uma dimensão que transcende os habituais discos pop que transpiravam jazz nesta altura. Não há um único tema em “Previsão Do Tempo” que não seja de génio, um disco tão perfeito quanto essencial. E com uma capa maravilhosa. A edição faz-se acompanhar por um texto de Allen Thayer (Wax Poetics) e uma entrevista a Valle, bem como a habitual explicação sobre cada um dos temas.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 28 Março, 2019

V/A / POWDER Powder In Space CD

€ 11,95 CD (mixed) Beats In Space

Nova série na Beats In Space, com Powder (Japão) na mistura. Já visitou Lisboa para uma das noites do Tiago no Lux, aqui mostra um flow em tempo de house com recurso a música que parece fora do espaço da pista de dança mas acontece sem problemas num clima de festa. De Tiago a Jamal Moss, Samo DJ, Don’t DJ, Powder desvia-se o suficiente da norma para ajudar a mapear territórios que podem estar habitualmente longe da vista, enquanto agrega as almas numa mix inclusiva.


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 28 Março, 2019

RÓISÍN MURPHY Overpowered 2LP

€ 27,95 2LP (2018 reissue) Be With

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5

Pico de forma em 2007, quando este álbum saiu. Róisín Murphy com Seiji, Parrot, pessoal de Add N To (X), Groove Armada, Bugz In The Attic, Mark De Clive-Lowe e até Richard X. Melhores tempos de Moloko revisitados, depois de Murphy se ter estreado a solo com o álbum “Ruby Blue”, produzido por Matthew Herbert, num tom mais sério. “Overpowered” celebra de novo a pop e o glitter das pistas de dança com canções que entraram directo no léxico dos 00s: “Tell Everybody”, “Let Me Know”, Primitive”, “Footprints”, “Scarlet Ribbons”, “Parallel Lives”, o natural destaque para a canção-título com a memorável linha ácida e o texto científico. Abandono num torpor de festa alimentado por crise existencial. O conforto da melancolia em campo aberto. Dançar para esquecer ou para entrar num novo ser. Um vinil laranja, um vinil rosa.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 20 Março, 2019

DAPHNE ORAM Oramics 4LP

€ 45,50 4LP (2019 reissue) Young Americans

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5

Daphne Oram foi um dos membros fundadores da BBC Radiophonic Workshop, um departamento que muitos conhecemos pelo seu trabalho em algumas bandas sonoras da BBC durante os anos 70. Esse departamento existiu muito pela responsabilidade de Oram, que desde finais dos anos 50 passou muitas horas extraordinárias a trabalhar em volta da construção de um som muito característico, nalguns pontos pioneiro, e um dos pilares da electrónica desde então. Daphne costuma também ser referenciada como a primeira mulher a desenvolver um instrumento musical electrónico, entre muitos dos feitos históricos que realizou ao longo da sua vida. Quando morreu em 2003 deixou um extenso arquivo de mais de 400 fitas que têm vindo a ser catalogadas desde então. “Oramics” é a reedição em vinil (pela primeira vez) de um disco que saiu há quatro anos em CD. 44 faixas que são para colecção. É visível, hoje, o trabalho pioneiro que Oram desenvolveu e ouvir “Oramics” de seguida é uma experiência única, bastante diferente até do que o que conhecemos da BBC Radiophonic Workshop, onde se sentia que era um trabalho pensado para um fim, enquanto a abordagem de Oram é um investimento expansivo daquilo que ela conhecia e do que queria obter dos equipamentos com que trabalhava. É  um trabalho único, sem paralelo na história, e que é absolutamente fascinante ter sido feito há tanto tempo.

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 20 Março, 2019

JUNG AN TAGEN Agent Im Objekt LP

€ 17,50 LP Editions Mego

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5

Apesar de uma carreira curta, Jung An Tagen tem andado nas bocas do mundo da electrónica, pela exploração absolutamente simbiótica entre a música electrónica e a da dança. Os padrões dos seus sons parecem uma coordenação exemplar de sons produzidos por máquinas do século XXI. Se no seu anterior álbum na Mego, “Das Fest Der Reichen” (2016), já apontava as intenções de explorar o universo de Ryoji Ikeda numa linguagem actual (e isso também se sente nos seus outros álbuns), em “Agent Im Objekt” leva essa intenção mais além e processa sons que mais parecem uma exploração de dados lançados de um computador de uma forma absolutamente explosiva e cerebral. No fundo, é neste disco que conquista o seu domínio, abandona todas as referências. É música estimulante, que cria imagens à medida que se ouve, e que facilmente lança coordenadas sobre como transformar este género de electrónica em dança para o futuro. Mas coloca-lo só aí é injusto, “Agent Im Objekt” é um disco que transcende os headphones e a pista de dança, a sua versatilidade na construção de ritmos enquanto cria e controla o caos é simbólica no desejo de Jung An Tagen se afirmar como um dos músicos mais criativos da cena electrónica desta década. E não só é um dos novos, como o seu currículo já lhe começa a dar calo suficiente para ser levado muito a sério. “Agent Im Objekt” é um universo de cores, de imagens que não se vêem mas que se sentem, que se constroem a partir dos ouvidos, como nunca ouvimos ou vimos. É absurda a forma orgânica como constrói os seus sons, como teoriza o caos à medida que os sons surgem e como constrói uma narrativa absolutamente clara ao longo do disco. Raramente somos tão estimulados por um disco. “Agent Im Objekt” vai marcar 2018. E o futuro. Visionário, da melhor ficção científica sonora do presente e lindíssimo. Magnífico, sim.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 14 Março, 2019

CHUPAME EL DEDO No Te Metas Con Satan LP

€ 16,50 LP Souk

Metade Meridian Brothers (Eblis Alvarez), metade Romperayo (Pedro Ojeda), os Chupame El Dedo são uma composição interessante de banda quase-cartoon que criou a visão possível de uma espécie de metal tropical. O acontecimento vai além da descrição no papel da coisa e os colombianos consagram-se numa excelente mistura entre acid, folk e beats tropicais. São a relação multicolorida entre os Devo e os Residents se estes se tivessem casado numa igreja de satã: o que seria mais provável, porque nenhuma outra os aceitaria. A Souk – uma editora irmã da Discrepant – explora as margens dos chamados global beats, promovendo a ideia de que a música de dança se pode encontrar nos transes menos expectáveis. Este “No Te Metas Con Satan” é uma epifania. Festeja os ritmos celebratórios que a editora quer promover enquanto cria uma espécie de aventura surreal num qualquer desenho animado musical. A maior dificuldade de “No Te Metas Con Satan” passa por considerá-lo como um simples disco: é mais do que isso. É uma aventura gráfica misturada com uma droga multicolorida e uma qualquer febre de novela sul-americana. Uma constante festa, uma perversão estética com o melhor gosto e primor das perversões estéticas no mundo da pop. Tem uma das melhores canções do século, “Alexandra Candelaria”, um maravilhoso pecado auditivo que arruma na gaveta todos os devaneios do passado. É o que dá quando se brinca com satanás.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »