Segunda-feira, 27 Julho, 2015

THE LOOSE CONTROL BAND It’s Hot 12″

€ 13,95 12″ Golf Channel

[audio:http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL054-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL054-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL054-3.mp3]

Loose Control Band é um tanque de preservação de nutrientes essenciais dos anos 90 e, em “It’s Hot”, acrescentado de 80s com Sal Principato dos Liquid Liquid. A Columbus Hotel Mix soa a Cabaret Voltaire pré-Virgin com pós-punk bem malvado a rasgar o ar. Não se capta imediatamente a ligação directa de DJ Spun (Thick As Thieves, Rong, How & Why, etc.) e Jonah Sharp (basta Spacetime Continuum) mas é clara a participação de Sal Principato e também do baixo de Ray Stevens II (Drunk Injuns). A versão original é mais selvagem e rock. Na Golf Channel é talvez o equivalente de Mick Collins na Mahogani Music. No meio, 2 minutos de bónus de conga e caixa de ritmos a providenciar aquela ferramenta sempre necessária!

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 6 Novembro, 2014

THE LOOSE CONTROL BAND Lose Control 12″

€ 12,50 12″ Golf Channel

[audio:http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL043-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL043-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL043-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/CHANNEL043-4.mp3]

DJ Spun criou a Rong há uma década (mais) e conseguimos esticar a sua presença no mapa, no mínimo, até ao final dos 90s, com maxis que ajudavam a mapear a cena house californiana com pulsão tribal. jonah Sharp, a outra metade da Loose Control Band, criou nome como Spacetime Continuum, gravou com Move D e mantinha a editora Reflective. Juntos estão agora a fazer crescer o estatuto da Golf Channel. “Lose Control”, na abertura, faz tremer o chão de tensão boa com o seu mood meio ácido e teclas clássicas. Cresce, vai ao Espaço, fica Wild Pitch, incrível. “Bent” completa o lado A com som deep dos 90s e, no lado B, “It’s (Not) Just An 808″ vem em duas versões para, segundo a folha de imprensa, abrir caminho ao regresso do breakbeat. Talvez não seja assim tão definitivo, mas o beat electro quebrado cruza Drexciya com Egyptian Lover, cenas mais bass de Miami e new school de fim de século como as cenas da Breakin de Ed DMX. Não pode falhar. A segunda versão acrescenta linha de baixo e sabor sintético de Kraftwerk para manter a máquina em movimento. Tudo para dançar.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »