Quarta-feira, 8 Maio, 2019

V/A Touch Ringtones CD

€ 9,95 CD Touch (Tone 14)

Exemplares originais da edição inglesa de 2002 / Original 2002 UK release. Sound clips and sleeve not from actual copy.

OUVIR ÁLBUM COMPLETO / LISTEN TO FULL ALBUM:
Touch Ringtones

99 miniaturas gravadas por / cortadas a partir do som de ilustres como Oren Ambarchi, Chris Watson, Evan Parker, People Like Us, Simon Fisher Turner, Carsten Nicolai, Bruce Gilbert, Mika Vainio e dezenas de outros. certa infância, ainda, no uso de telemóveis, em 2002, e um caso de tecnologia a influenciar outra tecnologia. Proposta de marcar diferença em relação ao rebanho e aos toques-padrão das marcas / operadoras, com algo que ninguém mais vai reconhecer. Blips, spoken word, field recordings, noise, ambiente, desconstrução sónica, muitas maneiras de criar um som distinto, curto (alguns estão em loop), por vezes em busca da irritação ou, simplesmente, de exercer um sentido de humor particular, Exemplares novos, alguns selados, em digipak standard da Touch.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 21 Novembro, 2018

JANA WINDEREN Spring Bloom In The Marginal Ice Zone CD

€ 12,50 CD Touch

Carlos Duarte é entrevistado na primeira faixa, explicando com pormenor alguns detalhes sobre o ecossistema do Ártico, nomeadamente o ressurgir de actividade biológica quando o Sol reaparece após os meses mais intensos de Inverno. Todo o álbum assenta no registo desse ressurgimento na zona limítrofe de gelo, a primeira a receber novos indícios de vida a partir do exterior. O facto de essa zona limítrofe ser hoje em dia debatida no contexto das alterações climáticas acrescenta militância ecológica a estas gravações da norueguesa Jana Winderen. Natureza envolvida pelo toque artificial da electrónica, por vezes replicando os sons naturais, outras vezes obrigando à sua mutação genética, mas também como fundo discreto para a vida (os sons) se manifestar. Trabalho minucioso e elegante, dividido em duas partes longas para propósitos diferentes, consoante o ambiente de escuta: “Headphone Mix” e “Monitor Mix”.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 31 Outubro, 2018

IPEK GORGUN Ecce Homo CD

€ 13,50 CD Touch

“Ecce Homo”, como as palavras indicam, apresenta o Homem em ambas as capacidades de criador e destruidor, precisamente os atributos de um Deus. Gorgun, a gravar em Istambul, procura o sempre elusivo significado para a existência humana, questionando através do som, pesquisando enquanto cria, ao invés de colocar perguntas para as quais ninguém tem resposta. “Le Sacre II” replica, com deliberada falsidade, um mundo natural; “Knightscope K5″ parece desejar a fusão entre o profundamente artificial e essa ideia feita de natural. Traz para a mesa algumas lembranças da ondulação de Fennesz, mas por sobre a regularidade das ondas, ou ambientes, Ipek Gorgun coloca chamadas de atenção, sons que se destacam até pela mensagem que parecem conter. Quase nenhuma voz, neste álbum, mas a informação, ou mesmo o ensinamento que o autor procura transmitir, encontra-se inteiramente na organização dos sons. Chamando de novo “Knightscope K5″, é possível que a história que conta reflicta a constante subida e descida de ânimos na evolução humana, no fundo, duas palavras pelas quais se define o nosso percurso enquanto espécie: Guerra e Paz.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Terça-feira, 7 Agosto, 2018

MIKA VAINIO / JOACHIM NORDWALL Monstrance 2LP

€ 21,95 2LP (2018 reissue) iDEAL Recordings

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5

O mundo da electrónica é generoso em colaborações, já se sabe. E graças a deus, Mika Vainio é um dos mais trabalhadores músicos que existem. Mas com Joachim Nordwall ainda não havia uma ligação, apesar da música que ouvimos aqui ser fruto de uma experiência bem sucedida que remonta a 2010, quando se aventuraram no estúdio dos Einstürzende Neubauten. Não foi apenas um delírio electrónico, o que se passou; tanto Vainio como Nordwall aproveitaram as condições do local para largarem métodos tradicionais e apostarem num revival bem especial. Como se o fantasma dos Neubauten andasse por lá, corroendo as gravações e o metal de “Monstrance”. O resultado é mesmo uma pequena tempestade eléctrica, semi-rock, semi-digital, onde vem ao de cima o poder sonoro que Nordwall e Vainio possuem. Parece o fim do mundo, mas na verdade é um mundo novo.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 13 Julho, 2018

THE ETERNAL CHORD Semper Liber CD

€ 9,95 CD Spire / Touch

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 13 Julho, 2018

MARK VAN HOEN Invisible Threads CD

€ 11,50 CD Touch

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 13 Julho, 2018

STRAFE F.R. The Bird Was Stolen CD

€ 11,50 CD Touch

OUVIR / LISTEN:
CLIP1CLIP2CLIP3CLIP4CLIP5


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , / / Comentar: aqui »

Segunda-feira, 19 Junho, 2017

FENNESZ Mahler Remix 2LP

€ 21,95 2LP Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TONE52V-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TONE52V-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TONE52V-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TONE52V-4.mp3]

Uma peça tocada ao vivo três vezes apenas, desde a primeira em 2011, e uma dessas três vezes inclui o Carnegie Hall. Chama a atenção. Mas, independentemente, Christian Fennesz tem lugar cativo na nossa memória, e portanto qualquer disco novo faz-nos sentar e ouvir. A música baseia-se em samples retiradas de várias sinfonias de Gustav Mahler, reposicionadas através do precioso som granulado de Fennesz, envolto em tons cinza e acompanhado por uma adequada imagem de malha entrançada, na capa. O crescendo na segunda faixa (são quatro) é o momento mais épico no álbum, produzindo ondas de som quase líquidas (o som do oceano é facilmente intuído numa segunda camada); Fennesz, guitarrista, utiliza mais obviamente o seu instrumento de eleição na última faixa, submergindo-o em ambiência carregada, ampliando a dinãmica desta matéria shoegazer. Nenhuma das faixas é estanque, todas fluem em regime livre e faz sentido, quando temos presente o facto de que a música foi gravada ao vivo na Radiokulturhaus em Viena.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 18 Junho, 2015

JOSÉPHINE MICHEL & MIKA VAINIO Halfway To White LIVRO + CD

€ 42,50 € 35,50 LIVRO + CD (Hardcover) Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO97-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-5.mp3]

“Halfway To White” é um livro impressionante que marca com estrondo uma divisão da Touch que, em bom abono da verdade, já deveria ter acontecido há muito. Porque a editora de Mike Harding e Jon Wozencroft não é apenas uma colecção de discos: a sua arte, a sua mestria editorial é espelhada por imagens e som em harmonia, como uma ideia audiovisual intrínseca. Numa edição de capa dura, duríssima, de páginas de alta gramagem, está um livro de fotografia de alta qualidade, com acabamentos de alto requinte. Joséphine Michel é fotógrafa e neste livro mostra-nos objectos registados de acordo com a ressonância dos campos energéticos de cada local fotografado. Vemos e sentimos a força invisível das fotos, como se comunicassem a um nível sub-atómico. Estas qualidades acabaram por ter uma correspondência sonora – o controle dos brancos no ruído e na luz – através da música de Mika Vainio – de Berlim para o mundo, este finlandês é um dos mais ocupados estetas electrónicos da actualidade -, que também procurou o som por entre as partículas, mergulhando num profundo universo de novas atmosferas, muitas delas pesadas e fantasmagóricas. Um objecto destes, feito desta maneira, não podia esgotar-se em múltiplas cópias, por isso há 500 exemplares para “Halfway To White” que irão marcar esta aventura da Touch a letras douradas. A seguir, prometem um novo livro de Chris Watson e esta editora de Londres renova-se como sempre fez ao longo da sua longa história. Para ver, para ouvir, para ter, para sentir.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 18 Junho, 2015

HEITOR ALVELOS Faith CD

€ 15,50 € 12,50 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO97-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO97-5.mp3]

Autor de inúmeros projectos, em diversas áreas, Heitor Alvelos edita pela primeira vez em seu nome, um álbum na Touch, uma editora (não apenas discográfica, como fazem sempre questão de salientar) com quem colabora, directa e indirectamente, há cerca de 15 anos. Ilustração, fotografia, imagens, sons, mas, sobretudo, ideias, muitas, porque Heitor parece ter um jeito inato para as criar, desenvolver e, depois, oferecer-nos. Sobre as imagens, talvez seja importante pesquisarem o espólio da Touch, por exemplo, e perceberem que nem tudo virá da lente de Jon Wozencroft. Sobre os sons, pensem em Autodigest ou, recentemente, em Antifluffy, e num currículo profissional teórico/prático que tem feito pela cena digital e media alternativa como poucos – no nosso país e nos quatro cantos do mundo. Tal como tem feito em trabalhos anteriores, a música em “Faith” parece processar o seu mundo, os seus sentidos, numa compressão de sons e atmosferas que recuperam uma espécie de big bang pessoal mas transmissível. Feito em partes mas digerido como um imenso drone visceral, Heitor Alvelos refere que utilizou sons gravados desde 1972, impondo uma direcção quase autobiográfica a este trabalho. Mas, como também diz, irá ressoar (material e imaterialmente) em todos nós. Nós confirmamos.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Segunda-feira, 13 Abril, 2015

BIOSPHERE / DEATHPROD Stator CD

€ 15,50 € 12,95 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO99-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO99-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO99-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO99-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO99-5.mp3]

Não é um formato muito apreciado – por nós e, achamos, pelo público em geral. Mas um disco assim, com uma divisão tão clara, traz outras leituras que podem ser atraentes. Biosphere e Deathprod juntam-se sem se juntarem em “Stator”, evitando o óbvio: um duo de músicos electrónicos. Tal como fizeram no longíquo ano de 1998, no fabuloso “Nordheim Transformed”, quando homenagearam o pioneiro norueguês que tanto lhes deve ter ensinado. Há, como é de esperar, um equilíbrio saudável em “Stator”, com ambos os músicos a jogarem pela mesma cartilha sonora, embora cada um mergulhe as profundezas de modo diferente. Ambientalismo profundo, feito de zeros e uns, profundamente alterado e manipulado pelas mãos certas na produção de Helge “Deathprod” Sten, com Biosphere a caminhar pelo lado mais pulsante e vibrante da dupla, enquanto o elemento dos Supersilent prefere uma maior abstracção vinda do largo campo da electroacústica. Ambiental sombrio de classe, feita por quem faz isto tudo acima de suspeita.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Sexta-feira, 16 Janeiro, 2015

JÓHANN JÓHANNSSON & BJ NILSEN I Am Here LP

€ 18,50 € 16,95 LP Ash International

[audio:http://www.flur.pt/mp3/ASH111-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/ASH111-2.mp3]

Dias felizes para Jóhann Jóhannsson, que depois de ganhar um Golden Globe (não se deve traduzir estas coisas, por favor) há semanas, com a sua banda sonora para “A Teoria De Tudo”, de James Marsh, vê-se nomeado para um Oscar (idem), elevando o seu estatuto a um nível planetário com o correspondente reconhecimento de pares e críticos. Esta tem sido parte substancial da sua obra recente e “I Am Here”, de 2014 mas com estreia comercial para este ano, é mais uma composição para cinema, aqui com a ajuda de BJ Nilsen, que com ele colabora pela primeira vez – Hildur Gudnadóttir é uma das convidadas. Obviamente que a parte orquestral é criada por Jóhannsson, e a parte electrónica por Nilsen, mas a fusão destes dois mundos é feita com imensa inteligência e, reconhecendo trabalhos antigos do islandês, não dá para traçar a linha da divisão com plena certeza: tudo coexiste num plano próprio. Música ambiental, emotiva como cristais de gelo a desfazerem-se ao sol, “I Am Here” é um álbum lindíssimo e tocante, longe das partituras (e discos) das bandas sonoras tradicionais – demasiado bom para ganhar prémios, não é? Edição apenas em LP e de tiragem limitada. A não perder.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 6 Novembro, 2014

FENNESZ Venice (10th Anniversary Edition) 2LP

€ 24,50 € 20,50 2LP (10th Anniversary Edition) Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO53V-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO53V-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO53V-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO53V-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO53V-5.mp3]

É impossível pensarmos que depois de “Endless Summer” não haja mais génio e mais ideias de Fennesz, mas a fasquia colocara-se tão elevada que é preciso medir bem os movimentos para que tudo não colapse. Os olhos e ouvidos estavam todos neste regresso – embora ligeiramente falso, pois temos ouvido muito Fennesz por aí, com FennO’Berg, sobretudo – e a pressão às vezes funciona muito bem. Depois de ter sozinho colocado o contagem a zeros, em 2001, com “Endless Summer”, o austríaco volta a cozinhar um lento borbulhar digital cheio de natureza dentro, como se abríssemos uma caixa com um mundo miniatura em paz no seu interior. Nem mesmo as muralhas de som – que ao vivo são mais muralhas que nas audições que fazemos em nossa casa -, em “Circassian”, por exemplo, nos convencem que este não é um disco de pormenor e reconfortante proximidade. Nesse momentos é a guitarra que espoleta o rock que há na música de Fennesz. No restante percurso de “Venice” impera a calma, transitória – a presença de David Sylvian em “Transit”, apenas cunha essa passagem -, contemplativa, mágica. Numa altura em que prolifera a música de computador, quando já conseguimos ligar processos a sons, precisa-se, e muito, das ideias dentro da máquina. Por isso, “Venice” é, arriscamos, tão bom quanto foi “Endless Summer”.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Terça-feira, 29 Julho, 2014

JACASZEK & KWARTLUDIUM Catalogue Des Arbres CD

€ 14,50 € 12,50 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO94-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO94-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO94-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO94-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO94-5.mp3]

Finalmente, o reconhecimento numa editora que decerto lhe dá mais enquadramento. “Glimmer” já tinha sido um bom disco, numa surpreendente Ghostly, mas Michal Jacaszek transpira um tempo muito dele que parece ligar-se bem com a Touch – aliás, a saída simultânea com “Saman” de Hildur Gudnadóttir é quase perfeita. A sua música, feita de ornamentos de câmara, pequenos movimentos jazzísticos e alguma contaminação electrónica, diz muito de alguns dos mandamentos da editora londrina. Ouçam o início, à medida que “Catalogue Des Arbres” se vai colocando em pé, como se o disco fosse arrumando o seu próprio baú de destroços – nos seus momentos despedaçados, as fracturas lembram-nos, por que não, Philip Jeck. Mas Jacaszek fala da carne, da Natureza, de coisas palpáveis, que dão sombra: sons de rua, sons de folhas, de muitas estações, criam um drone realista e orgânico que apara as memórias de Messiaen e dos seus pássaros. A música, executada pelo ensemble Kwartludium foi posteriormente processada por computador, sem que uma ruga tivesse sido tirada. Música de todos os espaços mas sem tempo: tem sido essa a missão na Terra de Michal Jacaszek. A nossa é ouvi-lo, com todo o tempo do mundo. “Catalogue Des Arbres” é um dos melhores discos da sua carreira. (Edição cartonada.)

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , , / / Comentar: aqui »

Terça-feira, 29 Julho, 2014

HILDUR GUDNADÓTTIR Saman CD

€ 14,50 € 12,50 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO96-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO96-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO96-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO96-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO96-5.mp3]

“Saman” faz o que é esperado a todos os fãs de Hildur: arrebata-os. A solo já se sabe que a música da islandesa fica muito distante de tudo o que ouvimos dela em diversas associações: sozinha, ela abraça o seu violoncelo e une a sua voz ao instrumento, fazendo música que parece ecoar a melancolia que achamos que é a Islândia, deixando-nos quietos, atentos e conquistados. “Saman” é um disco bem diferente da estrutura do seu anterior – “Leyfdu Ljósinu”, de 2012 -, fazendo um álbum por faixas, como se fossem temas independentes, mas que juntos vão construindo a história. Numa primeira audição, música e voz – sobretudo, ao quarto tema, “Heyr Himnasmiður” – parecem sugerir-nos salmos litúrgicos, carregados de solenidade que embora não percebamos o seu sentido, somos assolados pela sua carga emotiva. ‘Saman’ quer dizer ‘juntos’: instrumento e voz, talvez, mas na nossa interpretação, o significado estende-se também a nós, que ouvimos esta música quase sagrada. Um maravilhoso disco que, nesta primeira tiragem da Touch, chega-nos numa espécie de digipak cartonado que dá uma solidez e dimensão bem especial a “Saman”.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 7 Maio, 2014

THOMAS ANKERSMIT Figueroa Terrace CD

€ 14,50 € 12,50 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO93-1.mp3]

Finalmente um novo disco para Thomas Ankersmit. “Live In Utrecht” ainda é um portento de disco, numa altura em que a sua electrónica se misturava com a acústica do seu saxofone, mas já tem 4 anos e há muito que precisávamos de mais música. Sobretudo porque Ankersmit se tornou um eloquente ponta-de-lança dos sintetizadores analógicos e modulares, tocando um pouco por todo o mundo nos últimos anos – sozinho, com Phil Niblock e a reboque de inúmeras residências académicas nos Estados Unidos, por exemplo. “Figueroa Terrace” é justamente um trabalho que liga Los Angeles e Valencia, entre 2011 e 2012, e mostra a ginástica analógica de Ankersmit no seu Serge e nalguns truques ‘costumizados’ que sempre intrigam quem o vê ao vivo. Numa altura em que a electrónica modular se propaga como nunca, ainda há quem consiga ver mais além que todos os outros – algo muito comum no resto da música, aliás. Ankersmit atira-nos para esse infinito, onde está há muito tempo Mika Vainio, por exemplo, cheio de electricidade controlada, sinusoidais que nos arrepiam a pele, e sons que são, acreditem, música para os nossos ouvidos. Dizemos isto muitas vezes, mas sempre com razão: “Figueroa Terrace” só faz sentido se nos cercarmos pelo som vindo de uma aparelhagem que esteja calibrada para nos dar tudo o que Ankersmit quis neste álbum. Álbum imenso, tal qual esperávamos.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 27 Fevereiro, 2014

PHILL NIBLOCK Touch Five 2CD

€ 17,50 € 13,50 2CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO91-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO91-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO91-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO91-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO91-5.mp3]

Phill Niblock já é octagenário, mas não é por ter uma idade respeitável que o deixamos de ver em concertos ou palestras em todo o mundo. Talvez seja mais um exemplo do parar é morrer, ou então é mesmo a sua música que lhe corre no sangue: se há obra que congela o relógio, Niblock é seguramente um dos autores. A sua estratégia tem sido quase sempre a mesma, com soberbos resultados: procurar a sobreposição de tons que resulta do processamento e da acumulação de camadas de tons. Podem ser criadas com um instrumento, apenas, e mais tarde trabalhadas em fita – o seu método original, quando começou a compor -, ou podem ser captadas e processadas instantaneamente com software. Esta metodologia não aparece apenas como resultado de uma vantagem tecnológica; o software é apenas um meio para atingir um fim que, com a experiência auditiva que Niblock tem, é muito mais imediato do que ir para estúdio efectuar os ‘overtones’. Digamos que a intuição impera, neste momento. Este duplo CD mostra ambas as aproximações, trabalhando com ensembles acústicos (violoncelo, harpa e três quartetos de guitarras num jogo de sustentação harmónica exemplar. O que nasce daqui já sabemos há muito: música que se auto-regenera, elíptica e hipnotizante, que nos eleva fisicamente do chão. É sempre difícil falar de minimalismo nas obras de Niblock, quando o que ouvimos reflecte em todas partículas do espaço que nos rodeia. E também é difícil circunscrever este disco dentro de uma obra tão fulgurante como a que temos vindo a conhecer nas últimas décadas. Essencial.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Domingo, 22 Dezembro, 2013

BJ Nilsen Eye Of The Microphone CD

€ 14,50 € 12,50 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO95-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO95-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO95-3.mp3]


NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , / / Comentar: aqui »

Quarta-feira, 2 Outubro, 2013

BRUCE GILBERT and BAW Diluvial CD

€ 14,50 € 12,50 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO87-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO87-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO87-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO87-4.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO87-5.mp3]

Em 2011, Bruce Gilbert, um ex-Wire, colaborou com David Crawforth e Naomi Siderfin (Beaconsfield ArtWorks, um projecto artístico de ambos, no activo desde 1994) num trabalho de soundscape em torno do tema da subida dos mares durante esta época de mudanças climáticas. Muito processamento sonoro, claro, de Gilbert e Crawforth, partindo de algumas partituras e indicações de Siderfin, ajudando-nos a distanciar do tema, mas sem que isso perturbe a fruição de “Diluvial”. Aliás, esta é a parte mais abstracta da obra, pois “Diluvial” existiu como uma exposição de imagens e som. Sete temas que aludem à jornada da Criação, usando sons do mar, de cursos de água e chuvas, que criam um cenário aquático ambiental, bem distante do que Chris Watson, por exemplo, faz das suas gravações de campo, embora nos dê a mesma serenidade e confiança que o mundo vai ser um local melhor por causa da música que fazemos com ele. Com um óptimo sistema de som, “Diluvial” vai provocar-vos incríveis infiltrações em casa.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »

Quinta-feira, 1 Agosto, 2013

CHRIS WATSON In St. Cuthbert´s Time CD

€ 14,50 € 12,50 CD Touch

[audio:http://www.flur.pt/mp3/TO89-1.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO89-2.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO89-3.mp3,http://www.flur.pt/mp3/TO89-4.mp3]

Cada obra de Chris Watson encerra em si bem mais que um simples registo documental. Seria muito redutor que se ouvisse este mago das gravações-de-campo como tal, já que Chris Watson – outrora, um dos Cabaret Voltaire – é um exímio músico, trabalhando as suas fontes e compondo cenas como autênticos filmes sem imagens. Depois de uma viagem alucinante – o soberbo “El Tren Fantasma” relatou-nos uma travessia ferroviária costa-a-costa no México -, Watson volta à Natureza e pinta um quadro temporal, sugerindo-nos com sons o que poderá ter sido a vida em Holy Island, uma pequena ilha perto da costa de Northumberland, no norte de Inglaterra, quase a atravessar a fronteira com a Escócia. Eadfrith, o Bispo de Lindisfarne, escreveu o seu evangelho naquela ilha, entre os séculos VII e VIII depois de Cristo. Decerto terá sido inspirado pelo ambiente que o rodeava, pela Natureza, pela fauna local, pelo clima do Mar do Norte. É essa viagem no tempo que Chris Watson faz e para a qual nos transporta: sobrepondo camadas de sons, perfeitamente encaixados e dispostos, o que ouvimos é uma intensa cápsula do tempo, uma narrativa imaginária e real que, como sempre, trespassa o registo documental. Mesmo com o aparente ressurgimento do field recording, graças aos equipamentos digitais de gravação mais acessíveis, este disco mostra quem continua a ter uma linguagem única e magnífica, representando de modo original o mundo que nos rodeia. Ou seja, este álbum, que traz um livro de 24 páginas e é apenas o quinto a solo na Touch desde 1996, é para juntar à sua luminosa discografia.

NOTA: Artigo sempre sujeito a confirmação de stock e preço

PLEASE NOTE: Item always subject to stock and price confirmation

Artigos relacionados


/ / Etiquetas: , , , , / / Comentar: aqui »